Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LER

Livros. Notícias. Rumores. Apontamentos.

«Tarefas Infinitas – Quando a arte e o livro se ilimitam»

 

«Esta não é apenas uma exposição de livros, mas de obras de arte onde o livro tem uma presença determinante – pinturas, filmes, esculturas e instalações – numa montagem que aproxima livros iluminados medievais e obras de arte contemporâneas e livros ilustrados do século XVII ao lado de filmes ou livros conceptuais do século XX. Propõe-se, assim, uma reflexão sobre os limites da arte e do livro por vir. Mostra-se o livro enquanto laboratório de experiências estéticas, que abre um horizonte infinito de possíveis à arte, interrogando e alargando também a nossa conceção “segura” e tradicional de livro.» Exposição aberta ao público (três euros por entrada) de 20 de julho a 21 de outubro, no Museu Calouste Gulbenkian, com curadoria de Paulo Pires do Vale.

Um lugar nos olhos

 

Título da exposição de Luis Manuel Gaspar inaugurada hoje na Biblioteca Nacional. Entrada livre até 31 de agosto: «O estilo minucioso de Luis-sem-acento tem como assinatura a tinta-da-china e o aparo fino, tão fino como a sua elegância. Não dá um passo sem sépia. Mas a gama de cor, por exemplo nas citadas bandas desenhadas (publicadas no jornal Viva Voz e na revista Ler) onde o poema corre como arrepio suscitando variações do olhar sobre sítio significante em modo disléxico e não ilustrativo, torna-se personagem. Pela intensidade da paleta generosa e densa, as texturas, a luz, os céus acontecem mais reais que o real. Como na poesia que também pratica, o museu naturalmente de Luis enche de carne e veias o farol assim como dá ao granito a leveza do veludo.»

Jorge Amado em Portugal

 

Título da exposição organizada pela Biblioteca Nacional «sobre os tempos os modos de receção da sua obra no nosso país, desde o primeiro impacto intelectual, aliás de contornos polémicos, nos anos trinta do século XX, à projeção mediática que correspondeu à divulgação através de famosas séries televisivas e a passagem pelo cinema, após os anos setenta». A partir de amanhã e até 7 de setembro.

A Arte da Fotografia nos Livros de Artista

Título da exposição comissariada por Guy Schraenen e aberta ao público entre 22 de Maio e 15 de Agosto na Biblioteca de Serralves. «Desde os anos 90, a fotografia tornou-se para os artistas plásticos uma ferramenta, uma matéria explorada de todas as formas, em todos os formatos. Muito antes, nos anos 70, numerosos artistas de todas as tendências exploraram a linguagem fotográfica na realização dos seus livros. Alguns fizeram dela o material principal, como Ed Ruscha e Hans-Peter Feldmann; outros empregaram-na pontualmente, como Christian Boltanski e Sol LeWitt. Outros ainda integraram-na de maneiras muito diversas, como Joseph Kosuth e Allan Kaprow. Mas todos desenvolveram projectos sob forma de publicação em que o formato da foto permanecia próximo do tradicional. As pesquisas demarcaram-se da fotografia tradicional e dos álbuns fotográficos pelo facto de os artistas construírem sequências que, página após página, formavam um conjunto coerente desenvolvendo-se no tempo e no espaço.»