Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LER

Livros. Notícias. Rumores. Apontamentos.

Valter Hugo Mãe: «Sinto-me absolutamente decapitado pela minha editora»

«Tornou-se insuportável a situação da Objectiva, editora que chancela todos os meus livros disponíveis. A ausência dos livros no mercado, durante quase seis meses, e a opção por uma nova distribuidora que é especialista em revistas e absolutamente despreparada para a realidade livreira, está a deixar-me no limite», escreve Valter Hugo Mãe na sua página oficial no Facebook. «Não suporto mais as infinitas perguntas acerca de como se podem conseguir livros meus, quando estes deveriam estar disponíveis em todo o lado, pelo interesse dos livreiros e pela procura generosa que têm merecido dos leitores ao longo dos anos. Sinto-me absolutamente decapitado pela minha editora e não poderei tolerar mais esta situação.»

Obra Completa de Eugénio de Andrade reeditada pela Assírio & Alvim

 

Em outubro, com o volume que reúne Primeiros Poemas, As Mãos e os Frutos e Os Amantes sem Dinheiro, a Assírio & Alvim assinala o início da publicação da Obra Completa de Eugénio de Andrade. «Serão ainda editados», acrescenta a editora, «diversos livros que Eugénio de Andrade organizou e traduziu (García Lorca, Safo, Mariana Alcoforado e a antologia Trocar de Rosa), dois livros infantis (Égua Branca e Aquela Nuvem e Outras) e algumas antologias que preparou (Antologia de Poesia Portuguesa Contemporânea, Poemas Portugueses para a Juventude, Sonetos de Camões escolhidos por Eugénio de Andrade e Versos e Alguma Prosa de Luís de Camões.»

Caderno de Pérez-Reverte

 

Arturo Pérez-Reverte começou há poucas semanas a publicar as notas do seu próximo romance em novelaenconstruccion.com. «Seguirán en los próximos meses, sin método ni periodicidad fija, algunas de mis notas breves sobre el trabajo en curso. Se trata de una novela no histórica, empezada el 7 de enero de 2011 (aunque su origen sea muy anterior), que poco a poco parece encaminarse a su recorrido final.»

Antonio Tabucchi (1943-2012)

 

«Escrever é tentar dar uma forma ao acaso. E dar uma forma à vida. A vida, em si, de facto, não tem forma nenhuma. É como um frango em gelatina. Qual é a lógica entre as coisas? Realmente, não há.»

Entrevista a Carlos Vaz Marques, abril de 2009 [LER nº 79].

Borges, o Verne do século XX

«Cada vez más me encuentro gente que viene del área de las ciencias, de las Matemáticas y de la Filosofía que ven a Borges como el Julio Verne del siglo XX ya que con sus cuentos de los años cuarenta, marcó los caminos y descubrió cosas imaginarias que luego la ciencia ha logrado realizar.» María Kodama, viúva do escritor argentino, na inauguração da cátedra Jorge Luis Borges na Universidad Nacional de Cuyo.