Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LER

Livros. Notícias. Rumores. Apontamentos.

Jean d’Ormesson: o adeus de um grande cavalheiro das letras

© AFP PHOTO / JOEL SAGET

Jean d’Ormesson morreu na noite de 4 para 5 de dezembro de ataque cardíaco aos 92 anos. 

Evocação de Josyane Savigneau, no Le Monde. Entrevista no Le Figaro. [«J'ai écrit mon premier roman pour plaire à une fille»], outra no Le Figaro [«Il y a toujours des larmes, mais toujours de l'espérance»], perfil do escritor publicado pelo Libération e na Lire / L’Express. Ler ainda sobre a entrada de Ormesson no restrito grupo da Pléiade; os maiores de 80 dão-nos lições de sabedoria [Les plus de 80 ans nous donnent des leçons de jeunesse], no L’Express; Jean d’Ormesson em sete livros, no Le Point; e ainda a entrevista a Marianne Payot, no L’Express [«Je suis un spectateur engagé»].

Actualização às 11:20: texto da Lusa, no Observador.

Maria Teresa Horta recusa prémio Oceanos

Foto Natacha Cardoso / Sábado

 

A poetisa recusou o prémio de quarto lugar, bem como a remuneração de 4.000 euros. «Faço-o por respeito pela Literatura, meus leitores, e sobretudo pelo respeito que devo a mim própria e à minha já longa obra», justificou. As notícias retiradas da imprensa:

Maria Teresa Horta rejeita Prémio Oceanos — no Público.

Maria Teresa Horta recusa Prémio Oceanos por ter ficado em quarto lugar ex-aequo — no Observador.

Maria Teresa Horta rejeita prémio literário Oceanos — na Sábado.

Ana Teresa Pereira grata e feliz por vencer prémio literário Oceanos — no Diário de Notícias do Funchal.

Quarta colocada do Oceanos, Teresa Horta recusa prémio — no O Globo.

Escritora Maria Teresa Horta recusa Prémio Oceanos — no Diário de Notícias.

Artigo de opinião de Inês Pedrosa no blogue Delito de Opinião.

Carta de Inês Pedrosa ao Público.

Maria Teresa Horta: “Não aceitei o prémio porque sou livre” — na Sábado.

Brexit, qual Brexit? Waterstones abre (ainda) mais livrarias.

A Waterstones abre mais cinco livrarias daqui até ao Natal (ou seja, atinge o número de 20 desde 2015) — e abrirá 15 novas lojas em 2018. Em 2011, o grupo HMV (His Masters Voice) vendeu a sua cadeia de livrarias, Watersones, a um investidor russo, Alexander Mamut, que foi buscar James Daunt, o fundador da Daunt Books (um grupo de seis livrarias londrinas, inicialmente especializadas em livros de viagem), para gerir a maior rede de livrarias do Reino Unido.

Escolhas britânicas: os melhores livros do ano

Em duas partes, o The Guardian começou a sua temporada de listas. Aqui e aqui pode ficar a conhecer os livros preferidos (durante o ano de 2017) de Paula Hawkins, Geoff Dyer, Jennifer Egan, Roddy Doyle, William Dalrympe, Hilary Mantel, Taiye Selasi, Gordon Brown, William Boyd, Val McDermid, Pankaj Mishra, Ali Smith, Sebastian Faulks, Jeanette Winterson, Lionel Shriver, David Nichols, John Gray, entre muitos outros. 

Assédio na Academia

A Academia Sueca tirou o nome do director de um importante centro cultural de Estocolmo da lista de convidados do banquete que celebrará – no próximo dia 10 – o Nobel atribuído a Kazuo Ishiguro. Motivo: 18 queixas de assédio ou violação pendem sobre ele, segundo o jornal Dagens Nyheter. A Suécia tem sido o país europeu mais varrido por denúncias de assédio sexual nos últimos tempos, em áreas como a academiatecnologiaadvocaciapolíticacena musical, e teatro, por exemplo.