Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

LER

Livros. Notícias. Rumores. Apontamentos.

LER amanhã nas bancas!

 

Dez anos depois de Baía dos Tigres, Pedro Rosa Mendes regressa ao romance a solo: é sobre Timor e está a ser escrito na Islândia. «Há um baú muito profundo na realidade timorense que tem escapado às letras portuguesas», afirma. «Timor é o maior engano da lusofonia. Não é o maior fracasso da lusofonia, é o maior engano.» Uma entrevista obrigatória quando passa também uma década sobre o referendo que tornou independente um território ocupado desde 1975. Seleccionámos 35 livros para o Verão, 35 livros de entre os lançamentos anunciados pelas editoras portuguesas até ao fim de Julho. Há surpresas, revelações, confirmações e 10 clássicos à mistura. Vital Moreira, Paulo Rangel, Ilda Figueiredo, Miguel Portas e Nuno Melo revelam as suas escolhas literárias antes de partirem para Bruxelas e Rogério Casanova e Rui Ramos fazem-lhes o exame. Ensaio exclusivo de Eduardo Lourenço: «Essa Europa do livro, da estátua, da sinfonia é, certamente, aquela que em Bruxelas ou Estrasburgo esperará os europeus de luxo que para lá irão para se convencerem e nos convencerem que a pouco "madre-europa" actual não é apenas ficação de europeístas militantes. Todos os Dantes, Shakespeares, Cervantes, Camões, Voltaires e Goethes do passado já lá estão, esperando-os. Ou eles os levam consigo.»

 

De passagem por Lisboa, o escritor brasileiro Bernardo Carvalho fala de O Filho da Mãe (Cotovia), romance que o levou durante um mês a Sampetersburgo. Mas há mais: José Gil volta a deitar Portugal no divã com Em busca da Identidade: o Desnorte (Relógio d'Água), Rogério Casanova escreve sobre a revista Kapa e oferece mais uma consulta: «Philip Roth é o mais realista guia possível para a grande aventura da sexualidade.» Rita Ferro aponta cinco livros que a traumatizaram. João Miguel Tavares escondeu-se atrás do sofá da LER para contar qual o maior insulto que recebeu na vida. Ana Hatherly promete publicar toda a sua ficção e alguns inéditos numa nova edição de O Mestre. Vasco Graça Moura regressa definitivamente para a sua «Casa dos Livros» em Julho, depois de vários anos em Bruxelas. Paulo Ferreira e Nuno Seabra Lopes explicam o que são autores com «plataforma». Carla Hilário Quevedo defende que «o latim e o grego fazem muito bem à cabeça» e o nosso provedor, para além de se queixar de nós, propõe modelos de texto para telemóveis cultos.

 

Crónicas de Abel Barros Baptista, Pedro Mexia, José Eduardo Agualusa, José Mário Silva, Filipe Nunes Vicente, Francisco Belard, Eduardo Pitta, Inês Pedrosa e Onésimo Teotónio de Almeida. E há prémios, diários gráficos da Feira do Livro de Lisboa, críticas de Filipa Melo, Dóris Graça Dias, José Riço Direitinho, José Mário Silva, José Guardado Moreira, Sara Figueiredo Costa e Rogério Casanova, livros de gestão por Fernando Sobral, ensaios escolhidos por Rui Bebiano, e «leituras miúdas» de Carla Maia de Almeida. Pré-publicação do último livro da trilogia Millenium, de Stieg Larsson. Mas há mais para procurar nas páginas da LER deste mês.

4 comentários

Comentar post