Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LER

Livros. Notícias. Rumores. Apontamentos.

Os mais vendidos nos EUA

Na semana que passou, estes foram os livros mais vendidos nos EUA (fonte: Publishers Weekly):

  1. Sue Grafton, X (Putnam)
  2. John Grisham, Gray Mountain (Dell)
  3. Carl-Johan Forssén Ehrlin, The Rabbit Who Wants to Fall Asleep (CreateSpace)
  4. Brené Brown, Rising Strong (Random)
  5. Robyn Carr, Wildest Dreams (Mira)
  6. Harper Lee, Go Set a Watchman (Harper)
  7. E.L. James, Grey (Vintage)
  8. Bryan Stevenson, Just Mercy (Random)
  9. Marie Kondo, The Life-Changing Magic of Tidying Up (Ten Speed)
  10. Glenn Beck, It ‘Is’ About Islam (Simon & Schuster)

Paulo Borges, candidato às presidenciais – e vencedor em matéria de bibliografia

 

Do candidato à Presidência da República Portuguesa Paulo Borges, recebemos um pedido de retificação do post dedicado às presidenciais, e no qual dávamos conta da bibliografia publicada por cada um dos candidatos ja anunciados. Assim, começamos com três livros de poesia: Trespasse (Edições do Reyno, 1984), Capital (Edições Jorge Cabrita, 1988) e Ronda da Folia Adamantina (Átrio, 1992). Segue-se um romance, Línguas de Fogo. Paixão, Morte e Iluminação de Agostinho da Silva (Ésquilo, 2006), uma peça de teatro, Folia. Mistério de Pentecostes em três actos (Ésquilo, 2007) e um livro de contos, A Hieródula (Plurijornal, 1992) — além de 37 livros de ensaio e edição crítica. Citamos apenas alguns: A Plenificação da História em Padre António Vieira. Estudo sobre a ideia de Quinto Império na “Defesa perante o Tribunal do Santo Ofício” (Imprensa Nacional, 1995), Do Finistérreo Pensar (Imprensa Nacional, 2001), Pensamento Atlântico, (Imprensa Nacional, 2002), O Budismo e a Natureza da Mente (com Matthieu Ricard e Carlos João Correia) (Mundos Paralelos, 2005), Agostinho da Silva. Uma Antologia (Âncora, 2006), Tempos de Ser Deus. A espiritualidade ecuménica de Agostinho da Silva (Âncora, 2006), O Buda e o Budismo no Ocidente e na Cultura Portuguesa (organizador, com Duarte Braga) (Ésquilo, 2007), Princípio e Manifestação. Metafísica e Teologia da Origem em Teixeira de Pascoaes, 2 vols. (Imprensa Nacional, 2008), A Cada Instante Estamos A Tempo De Nunca Haver Nascido (Aforismos) (Zéfiro, 2008), Da Saudade como Via de Libertação (Quidnovi, 2008), A Pedra, a Estátua e a Montanha. O V Império no Padre António Vieira (Portugália, 2008), O Jogo do Mundo. Ensaios sobre Teixeira de Pascoaes e Fernando Pessoa, (Portugália, 2008), Uma Visão Armilar do Mundo. A vocação universal de Portugal em Luís de Camões, Padre António Vieira, Teixeira de Pascoaes, Fernando Pessoa e Agostinho da Silva (Verbo, 2010), O Teatro da Vacuidade ou a Impossibilidade de Ser Eu. Estudos e ensaios pessoanos (Verbo, 2011), Nietzsche, Pessoa e Freud (coordenador, com Nuno Ribeiro e Cláudia Souza) (Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2013), É a Hora! A mensagem da Mensagem de Fernando Pessoa (Temas e Debates / Círculo de Leitores, 2013), além da coordenação e edição de sete volumes da obra de Agostinho da Silva (Círculo de Leitores, 2001-2003). 

Esperemos que a eleição de Paulo Borges não interrompa este ritmo bibliográfico.

Portanto, dos candidatos já anunciados, fica assim ordenada a sua classificação: 1º) Paulo Borges (43 livros publicados); 2º) Manuela Gonzaga (10, além de uma série infanto-juvenil), 3os.) Paulo de Morais e Henrique Neto (2 cada um); 5º) António Sampaio da Nóvoa (nenhum disponível no mercado).

Pág. 3/3