Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LER

Livros. Notícias. Rumores. Apontamentos.

Ler, o poder da leitura, etc

Marjorie Garber, professora em Harvard, autora de Shakespeare acaba de publicar The Use and Abuse of Literature — e dá uma entrevista à The Atlantic:

«I think that the habit of reading is intensely pleasurable and it's also hard. The pleasure of it is partly the pleasure of detection, the pleasure of recognition, the pleasure of response. I think you can probably tell from the book that I'm very optimistic actually about the future of literature and literary reading—I'm far from despairing and I don't actually feel that there's a crisis. What we need is to continue to show the power of reading, the pleasure of reading—and, again, more people experience that than we are sometimes aware of.  Also the power of writing, which is an analogous pleasure and power.»

50%

A Other Press aumentou a percentagem de direitos de autor no livro digital, de 25 para para 50%. A média usada nos EUA é de 25%, embora a Random House tenha adoptado uma escala cumulativa que pode ir até aos 40%.

Já nas bancas!

 

UMBERTO ECO SÁBIO ENTRE BORBOLETAS

Trinta anos depois de O Nome da Rosa, o ensaísta e escritor italiano publica O Cemitério de Praga, romance que desafia as fronteiras entre realidade e ficção. Eco, 79 anos, recebeu Carlos Vaz Marques na sua casa-biblioteca de 30 mil livros, em Milão. «Um sábio que passou a vida a estudar borboletas não quer tornar-se uma borboleta.»

 

JOSEPH RATZINGER FUMO SECULAR

No momento em que o segundo volume de Jesus de Nazaré se transforma num dos best-seller da temporada, Henrique Raposo revisita o pensamento de Ratzinger como intelectual público através de duas manifestações do «ar do tempo europeu»: o «excesso de ciência e a retórica dos direitos humanos».  

 

JONATHAN FRANZEN LIBERDADE CONDICIONAL

A edição portuguesa do romance que colocou Inglaterra e os Estados Unidos em delírio literário e marcou a meteórica hype de 2010 tem estreia marcada para o fim de Abril. Liberdade é o resultado de quase uma década de trabalho do mais recente escritor a figurar na capa da Time.

 

MICHAEL CUNNINGHAM NA SOMBRA DE AS HORAS

Descobriu no manejo de linguagem de Virginia Woolf semelhanças com os acordes de Jimi Hendrix. Em Lisboa, o escritor norte-americano fala sobre o que rodeia Ao Cair da Noite, o sexto romance já com sequela a caminho.

 

ROMAIN GARY DOBRAR O GOUNCOURT

Se na vida real foi aviador, herói de guerra, diplomata e escritor, na literatura apresentou-se com os pseudónimos Fosco Sinibaldi, Shatan Bogat ou Émile Ajar, este último autor de Uma Vida à Sua Frente, livro responsável por um feito impossível: Gary ganhava pela segunda vez o mais prestigiado prémio literário francês. Um regresso feliz às livrarias portuguesas. 

 

Pode comprar o seu exemplar aqui ou optar por uma assinatura anual.

Pág. 2/2