Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LER

Livros. Notícias. Rumores. Apontamentos.

LER hoje nas bancas!

Nesta edição invertemos o calendário: falamos de viagens em Setembro como poderíamos falar do calor do Verão em Dezembro ou dos amores de Outono em Março. Como um ritual de arrependimento (pelas viagens que não fizemos), a identificação de uma crise (as viagens que não pudemos fazer), um lugar de paixão (as viagens que recordamos).

JOSÉ MATTOSO - AO SABOR DA HISTÓRIA
O historiador e antigo monge beneditino encontrou refúgio numa aldeia de Aveiro, à beira-Vouga, de onde gosta «de olhar para a História com um espírito contemplativo.» Portugal, Deus, Timor, Saramago e até o programa Novas Oportunidades – uma entrevista com o profícuo autor e coordenador dos recentes Património de Origem Portuguesa no Mundo, a História da Vida Privada em Portugal e Portugal - O Sabor da Terra.

 

DIÁRIOS DE VIAGENS - NOTAS COLADAS À PÁGINA
Há 50 anos, Eduardo Lourenço tentava descortinar a alma mexicana; Paulo Faria continua a pesquisar os arquivos de Cormac McCarthy no Texas; Eduardo Salavisa, de caneta preta e aguarela, viaja por Buenos Aires, Marraquexe, Veneza e Cidade da Praia; Isabel d’Ávila Winter escreve na Austrália sobre Portugal; e Susana Moreira Marques persegue, em Zurique, o rasto de um nome mítico da literatura de viagens: Annemarie Schwarzenbach.

 

ROTEIRO DE ARTISTA - DE HOMERO A ROTH
Rogério Casanova em rota de colisão com a Grécia de Homero, a Praga de Hrabal e Kafka, a Rússia de Gogol, a Tanzânia de Hemingway, a Angola de Kapuscinsky, a Índia de Naipaul, o Sudeste Asiático de Conrad ou a Newark de Roth. Sugestões para dar meia-volta, todo o ano.


DEZANOVE LIVROS DE VIAGENS PARA LEVAR NO BOLSO

Há livros que nunca entrarão nas listas de «livros de viagem» ou de «literatura de viagens». Fazem parte da bagagem que cada um transporta - romances, histórias que atravessam cenários e mapas de lugares onde se esteve ou onde nunca se chegará.

MARIA GABRIELA LLANSOL - ESCRITA SEM FIM
Na casa que foi a de Maria Gabriela Llansol, em Sintra, o tempo não ficou suspenso após a sua morte, em 2008. O Grupo de Estudos Llansolianos prossegue aí o tratamento do imenso espólio inédito da autora de Livro de Horas. Pelo caminho, ilumina-se de novo uma obra aberta.

 

Pode comprar o seu exemplar aqui ou fazer uma assinatura anual.

Os clássicos, por Danuta

A ilustradora Danuta Wojciechowska assina a nova imagem gráfica da colecção de clássicos da Porto Editora, na qual acabam de ser reeditados mais dez títulos: Os Maias, Contos, A Cidade e as Serras e A Relíquia (Eça de Queirós); Falar Verdade a Mentir e Frei Luís de Sousa (Almeida Garrett); Amor de Perdição (Camilo Castelo Branco); Os Lusíadas (Luís de Camões); A Morgadinha dos Canaviais (Júlio Dinis); e Poesias – Heterónimos (Fernando Pessoa).

Passatempo Presença/LER

A Presença oferece três exemplares de Mundo das Maravilhas – Viagem ao Património de Origem Portuguesa do Uruguai a Omã (amanhã nas livrarias), de Joaquim Magalhães de Castro, aos primeiros três leitores (devidamente identificados) que respondam correctamente à pergunta: «Que povoamento foi fundado por D. Manuel Lobo no século XVII e é hoje cidade uruguaia classificada pela UNESCO como Património da Humanidade?» Apostas para marta.serra@circuloleitores.pt.

Rentrée espanhola com novos livros de Vargas Llosa, Juan José Millás e Ricardo Menéndez Salmón

É um dos romances mais aguardados até ao fim do ano: El sueño del celta (Alfaguara), de Mario Vargas Llosa, obra baseada na história do irlandês Roger Casement, amigo de Joseph Conrad e cônsul britânico no Congo no início do século XX, tem lançamento marcado para 3 de Novembro. Almudena Grandes publica em Setembro Inés y la alegría (Tusquets), mês em que aparecem também nas livrarias espanholas Blanco nocturno (Anagrama), de Ricardo Piglia, e La luz es más antigua que el amor (Seix Barral), de Ricardo Menéndez Salmón. El error (Mondadori), de César Aira, e Lo que sé de los hombrecillos (Seix Barral), de Juan José Millás, destacam-se entre os livros previstos para Outubro. Lista completa aqui.

Finalistas do Prémio Portugal Telecom de Literatura

José Saramago é o único romancista português entre os dez finalistas do Prémio Portugal Telecom de Literatura. Lista completa: Caim, José Saramago (Caminho); Avó dezanove e o segredo do soviético, Ondjaki (Companhia das Letras); Leite Derramado, Chico Buarque (Companhia das Letras); O filho da mãe, Bernardo Carvalho (Companhia das Letras); Outra vida, Rodrigo Lacerda (Alfaguara); Monodrama, Carlito Azevedo (7letras); Lar, Armando Freitas Filho (Companhia das Letras); Pornopopéia, Reinaldo Moares (Objetiva); A Passagem Tensa dos Corpos, de Carlos Brito de Mello (Companhia das Letras) e Olhos Secos, de Bernardo Ajzenberg (Rocco). Vencedores anunciados a 8 de Novembro.

Pág. 3/3