EM LINHA

NAS BANCAS

Capa da LER deste mês
Faça já a sua assinatura aqui.

DESTAQUES

Artigo: Kizomba infernal

Durante muito tempo só os africanos boémios eram avistados depois de escurecer. O resto era o resto da noite – e rituais, melancolia, música, doçura e kizomba. Um polígono infernal. Um grande artigo de Kalaf Epalanga para ler ao som dos Buraka.

Entrevista: Afonso Cruz

Depois de 12 anos de vida nómada em 60 países, vive no Alentejo; escreve, faz ilustração e filmes de animação, compõe e toca na banda The Soaked Lamb, fabrica cerveja e acha que é sempre possível fazer-se o que quer fazer. Entrevista de Ana Sousa Dias.

Mário de Carvalho: conselhos aos jovens escritores

O novo livro de Mário de Carvalho trata de literatura – e dos mistérios da composição literária, sempre com grande ironia. Aqui está um (saboroso) fragmento de «Quem Disser o Contrário É Porque Tem Razão». O título é já um grande começo.

Sábado, 25 de Outubro de 2014
Fotografias exemplares, 52.
25 Outubro, 2014

Screen Shot 2014-10-20 at 19.09.00.png

 

Johyn Updike certificando-se de que Philip Roth não está a passar na rua.

publicado por Ler às 10:09
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 24 de Outubro de 2014
Editorial || Queimar livros não explica um país, mas explica os livros.
24 Outubro, 2014

Em 1973 um jovem professor de literatura na cidade de Drake, estado do Dakota do Norte decidiu usar o romance ‘Matadouro Cinco’ (Bertrand), de Kurt Vonnegut, como material de leitura de uma das suas aulas. Resultado? Os 32 exemplares do livro de Vonnegut foram retirados das mesas dos alunos e foram queimados na fornalha do aquecimento central da escola, pelo diretor e pelo chefe da polícia. O caso deu que falar: houve protestos, mas houve também seguidores. A data assinalou-se há três semanas (a Banned Books Week) nos EUA, país onde livros de Hemingway, Faulkner, Steinbeck, Mark Twain, J.D. Salinger ou J.K. Rowling foram (e estão) proibidos em escolas e bibliotecas públicas. Queimar livros parece-nos um escândalo. E é. Mas ainda se pratica muito hoje em dia. O fervor religioso, político e “moral” dos censores e das autoridades em geral é um combustível perigoso para toda a espécie de insanidades.

[Publicado também aqui]

publicado por Ler às 17:08
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Fotografias exemplares, 51.
24 Outubro, 2014

Screen Shot 2014-10-20 at 19.04.05.png

 

Peter Carey tendo atrás uma certa quantidadede dicionários de sinónimos.

publicado por Ler às 11:05
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014
Editorial || Machado de Assis, que nos recriou e ajudou a manter a Língua Portuguesa.
23 Outubro, 2014

Falemos da luxúria. Não dessa. Daquela que atravessa os objetos que cobiçamos, que reservamos, que não cedemos nem por decreto, que escondemos – se for preciso. A Glaciar, editora de Jorge Reis-Sá (com a Academia Brasileira de Letras), acaba de lançar um volume de 1560 páginas que leva este título simples: Os Romances de Machado de Assis. Ora, o que leva este livro lá dentro? Os romances de Machado de Assis: Memórias Póstumas de Brás Cubas, Memorial de Aires e Dom Casmurro, necessariamente, mas também Quincas Borba, Esaú e Jacob, Helena, por aí fora (são 9). Machado de Assis (1839-1908) é um dos grandes heróis da nossa língua, mulato filho de mulato casado com uma portuguesa; da infância pobre passou a fundador da Academia. Não o ler é uma afronta à Língua Portuguesa. Do humor bravo e etéreo de Brás Cubas à suspeita de traição de Capitu, estas páginas esperaram por nós – e continuam.

[Publicado aqui.]

publicado por Ler às 12:00
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Fotografias exemplares, 50.
23 Outubro, 2014

Screen Shot 2014-10-20 at 18.45.06.png

 

António Lobo Antunes rasurando um manuscrito.

publicado por Ler às 10:04
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014
Adaptados à «leitura por jovens»
22 Outubro, 2014

 

unnamed.png

 

Traduzidos do original pela mão e pela sensibilidade de Frederico Lourenço. Adaptados à «leitura por jovens» por Frederico Lourenço, naturalmente. Uma boa ideia para o outono.

publicado por Ler às 17:25
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quem não quer um biquíni destes para ler?
22 Outubro, 2014

  

O site Matchbook (no Tumblr) dedica-se a explorar a correspondência entre capas de livros, livros, primeiras frases de livros – e, imagine-se, biquínis e fatos de banho. Os autores vão desde J.D. Salinger, J.D. Ballard ou Dostoievsky até Kurt Vonnegut e Agatha Christie; nos criadores de roupa sei que entram a Adidas, Victoria’s Secret, La Perla e muitos designers individuais. Outras correspondências são possíveis: livros e carros, vinhos, gastronomia, arquitetura, , mas são ideias mais banais hoje em dia. Ficam muitas opções disponíveis: livros e raquetes de ténis, livros e relógios de parede, livros e lingerie, livros e miniaturas de comboios, a lista é infindável e tonta, tão tonta como a paixão pelos livros.

publicado por Ler às 17:14
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Senha, password ou palavra-passe?
22 Outubro, 2014

 

Exatamente: senha, password ou palavra-passe? Ver o debate no Ciberdúvidas.

publicado por Ler às 16:55
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Editorial || Eric Zemmour, a nova estrela da direita francesa. Pétainista e bonapartista.
22 Outubro, 2014

 

 

A França discute um livro, Le Suicide Français, de Eric Zemmour. Ou aquilo que ele representa, a França vencida pelo tempo tentando reabilitar os seus fantasmas. Parte da imprensa exige que Zemmour não possa ir à televisão, que o silêncio é a melhor resposta. Porquê? O que ele defende é duro – que os últimos quarenta anos, depois do Maio de 68 (a grande desgraça), destruíram a França e, por extensão, a Europa. Há demasiados estrangeiros em França, demasiados árabes, negros, feministas (“o homem transformou-se numa mulher como os outros”), cosmopolitismo, liberais, influência americana, muçulmanos (“a França vai ser muçulmana”), economistas anglo-saxónicos, misturas (“o gay quer ser um judeu como os outros”). A decadência da grande nação francesa. Zemmour diz-se bonapartista e pétainista, e lamenta que a Europa tenha escravizado a França. É melhor não ignorar este homem. A velha França tem um louco à solta. [F.J.V.]

 

REFERÊNCIAS

Charles Pasqua s'est attaqué à Eric Zemmour et ses différentes sorties sur Pétain et les juifs. Le Nouvel Observateur.

Eric Zemmour victime d'une "cabale", mais invité partout. L’Express.

Plus c’est gros, plus ça buzze [ou de como a esquerda gostaria de proibi-lo de ir à televisão]. Libération.

Roselyne Bachelot s'"inquiète" du "phénomène" Éric Zemmour. Le Point.

Passé d’Épinal. Editorial do Libération.

Le pétainisme et l’air du temps. Artigo de Mark Weitzmann, no Libération.

Zemmour, une dérive française. Libération.

Zemmour et Attali, deux profils du confort intellectuel up-to-date, no Mediapart.

"Hordes de Roms, Maghrébins et Africains" : Eric Zemmour persiste et signe. No site TF1

Eric Zemmour à propos de notre pays : « Ce n’est même pas qu’on n’aime pas cette France, on ne la reconnaît pas ! Ce n’est plus la France ! ». Nouvelles de France.

publicado por Ler às 16:33
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Informação útil: um americano que vive na Noruega e está em Lisboa
22 Outubro, 2014

O autor de Um Estranho Lugar Para MorrerDerek B. Miller, publicado pela Asa, está hoje em Lisboa — de passagem, com o seu editor José Prata (Lua de Papel).

publicado por Ler às 15:28
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
José Gil em Famalicão
22 Outubro, 2014

A entrega do Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, atribuído ao filósofo José Gil, pelo seu livro Cansaço, Tédio, Desassossego (edição Relógio d'Água) vai realizar-se no próximo dia 31 de Outubro, na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco (Av. Dr. Carlos Bacelar), em Famalicão. O prémio foi atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores (APE) e pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

publicado por Ler às 15:25
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Fotografias exemplares, 49.
22 Outubro, 2014

Screen Shot 2014-10-20 at 18.53.34.pngScreen Shot 2014-10-20 at 18.49.44.png 

 

Philip Roth uns anos antes e uns anos depois de entrar na lista dos desafectos do Nobel – mas sempre ao pé da janela. 

 

publicado por Ler às 11:57
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Terça-feira, 21 de Outubro de 2014
Seis finalistas para o Prémio Fernando Namora
21 Outubro, 2014

É como se segue a lista dos finalistas do Prémio Fernando Namora, instituído pelo Casino Estoril, no valor de 15.000 euros (o vencedor é conhecido no dia 9 de novembro):

 

Afonso Cruz, Para onde vão os guarda-chuvas

Ana Margarida de Carvalho, Que importa a fúria do mar

Ana Cristina Silva, A segunda morte de Anna Karénina

Bruno Vieira do Amaral, As primeiras coisas

Luís Cardoso, O ano em que Pigafetta completou a circum-navegação

Nuno Júdice, A Implosão

publicado por Ler às 11:05
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Fotografias exemplares, 48.
21 Outubro, 2014

Screen Shot 2014-10-20 at 18.51.36.png

Screen Shot 2014-10-20 at 18.52.05.png

Screen Shot 2014-10-20 at 18.53.15.png

 

 

Ian Fleming desdenhando de James Bond, rindo de James Bond, e pensando que James Bond já fez asneira, respetivamente. 

 

 

publicado por Ler às 10:53
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 20 de Outubro de 2014
Fotografias exemplares, 47.
20 Outubro, 2014

Hilary Mantel sobre o bloqueio do escritor: «Em caso de bloqueio, o melhor é ficar longe da mesa de trabalho. Dar uma caminhada, tomar um banho, dormir, cozinhar, desenhar, ouvir música, meditar, exercício; faça o que fizer, não se limitar a fazer uma cara feia.» É como dizes.

publicado por Ler às 18:37
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Mário de Carvalho: as primeiras páginas do novo livro
20 Outubro, 2014

O novo livro de Mário de Carvalho trata de literatura — e, mais do que isso, dos mistérios da composição literária, mas, geralmente, vistos do avesso. Quem Disser o Contrário É Porque Tem Razão. Guia Prático de Escrita de Ficção (Porto Editora) está a chegar às livrarias.

«Fervilham por aí uns livros ditos de auto-ajuda que pretendem ensinar os novos autores a escrever. Instalou-se uma movimentada indústria conselheiral, popular e cansativa. De uma forma geral, esses livros são inofensivos. Mas não poucos abusam da benevolência e boa-fé dos principiantes. Assertivos, peremptórios, simplificadores, seguem os princípios da linguagem publicitária. É próprio de quem pretende ganhar dinheiro à custa do desembolso dos outros. Muitas vezes começam pelo auto-elogio. Fiz e aconteci, vendi tantos e tantos exemplares, estive em tal ou tal sítio, fui elogiado por A e por B, conferenciei no Gabão, etc… Música celestial. Vai-se ver e a obra produzida é mole, clandestina e insignificante. O alarido autopromocional é sinal quase certo do palco trampolineiro. Os elogios na epígrafe ou na contracapa lembram os testemunhos dos doentes curados acerca do elixir milagroso.

Pretende-se dar a impressão de que todos estes temas e procedimentos são simples e redutíveis a definições, chavetas e listas. No entanto, o leitor facilmente se aperceberá, se não lhe interessar a banha reptilária, que a maioria das matérias de que vamos ocupar-nos dava, em si, para um livro. Algumas, até, para bibliotecas. No meu caso, aposto que depois deste volume impresso me hão-de ocorrer mais coisas. Faltar-me-á aprender muito mais do que nele se contém.

Não que inexistam milagres. Há-os. Mas deles não trata a modéstia deste livro. Não que não haja génios. Abundam os génios. Mas esta obrazita também não compromete os génios. Visa apenas uma prática mais informada da escrita por escritores a quem ainda não foi diagnosticada a genialidade. Aqueles para quem, lembrando um verso de Petrarca que Camões gostava de citar, «entre a mão e a espiga existe o muro». Também, não se podendo evitar a terceira-pessoa-do-singular-do-presente-do-indicativo-do-verbo-ser, nem algumas asserções, nem alguns superlativos (ou o contrário), fica aqui desde já declarado que todas as afirmações são para tomar cum grano salis (com um grãozinho de sal). Com uma porção de antídoto. Pratique-se a dúvida sistemática. Se o exercício da dúvida produz maus anúncios, pode, em contrapartida, gerar melhores escritores.

O acaso, por seu lado, costuma intrometer-se a baralhar uma situação em que milagres e genialidades já causaram os seus problemas. Mas se o acaso intervém na História das Civilizações porque não há-de fazer das suas na vida dos indivíduos? «Ele tem sorte?», perguntou Napoleão quando lhe sugeriram a promoção de certo militar a general. Nesse particular, nada se pode acrescentar, a não ser repetindo que a fortuna (um pseudónimo do acaso) ganha em ser ajudada. E até agradece.

Convém desfazer um equívoco logo à partida, e duma vez por todas. Quando falo em «escritor», refiro-me aos ficcionistas, com vénia aos dramaturgos e aos poetas. Ponto. A razão da advertência é que, no mundo de língua inglesa, writer designa quem quer que tenha como ocupação o escrever (não digo «a escrita» para não misturar no caso os contabilistas). Vale para a publicidade, guionismos vários, didascálias de banda desenhada, receitas de cozinha, bricolage, legendas de fotografias, ou aconselhamento psicológico. Por isso ficamos perplexos quando, ao lado, por exemplo, dos mandamentos de Henry Miller nos aparecem os palpites dos gurus da publicidade. Naquele universo cultural são todos «escritores». Escusaria de fazer esta precisão se não tivesse verificado que, ao toque duma pressão cultural suserana, algumas pessoas com voz pública dão mostras de traduzir à letra do inglês.

Se isto é assim com o inglês (já aconteceu, em tempos, doentiamente, com o francês), tremo do que acontecerá quando os modelos inspiradores começarem a exprimir-se em mandarim.

Já agora, com a mão na massa, convém lembrar que o uso de expressões latinas, como outras de línguas alheias – inevitáveis –, não pretende ser exibição de sabença. Aliás, manda um velho preceito de origem aristocrática que, em se sabendo latim, é de bom-tom não o exibir. Por maioria de razão, quando não se sabe, que é o meu caso.

Quando escrevemos in medias res ou quod erat demonstrandum ou ad lib repetimos tão-somente fórmulas reiteradas e consabidas, de uso universal, que atalham problemas e poupam algumas prolixidades.

Ainda a propósito das receitas criativas, lembro a resposta que teria dado Alexandre Dumas, filho (A Dama das Camélias), quando lhe perguntaram o melhor método de escrever uma peça de teatro: «Não tem dificuldade», respondeu o dramaturgo. «Compre um caderno, forre-o muito bem e na primeira linha escreva 1.º Acto. Quando chegar ao fim do caderno, a peça está pronta.»

Eu vou ser mais generoso na demonstração, embora, se calhar, menos imaginativo na fórmula e menos competente na escrita. Mas uma coisa posso garantir. Pensar que se fica apto a escrever depois de ler um compêndio de escrita criativa é a mesma coisa que julgar que se passa a dominar uma língua após ter comprado um dicionário.»

publicado por Ler às 18:30
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 17 de Outubro de 2014
Fotografias exemplares, 46.
17 Outubro, 2014

Truman Capote e Harper Lee.

Ele nunca dava o seu lugar no sofá.

 

publicado por Ler às 12:43
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 16 de Outubro de 2014
Fotografias exemplares, 45.
16 Outubro, 2014

Gustrave Flaubert e um bigode.

 

publicado por Ler às 12:40
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Uma canção de Michel Houellebecq
16 Outubro, 2014

Do álbum Présence Humaine, 2000.

 

publicado por Ler às 03:11
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 15 de Outubro de 2014
Fotografias exemplares, 44.
15 Outubro, 2014

Kurt Vonnegut, no intervalo da escrita,

analisando ao pormenor a sua conta de whisky.

 

publicado por Ler às 12:36
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Amazon: o folhetim continua
15 Outubro, 2014

Screen Shot 2014-10-15 at 09.26.31.png

 Para a The New Republic, «Amazon is the shining representative of a new golden age of monopoly that also includes Google and Walmart. Unlike U.S. Steel, the new behemoths don’t use their barely challenged power to hike up prices. They are, in fact, self-styled servants of the consumer and have ushered in an era of low prices for everything from flat-screen TVs to paper napkins to smart phones».

 

publicado por Ler às 10:01
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
O Dia Harry Potter vai ser à noite
15 Outubro, 2014

 Desculpem, mas preferimos esta imagem de Emma Watson.

 

Será a 5 de fevereiro, em todo o mundo — a noite Harry Potter, destinada a celebrar as histórias e os personagens de J.K. Rowlling. Tudo a partir dos livros: The Harry Potter Book Night. Aprendam.

publicado por Ler às 09:54
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
The Narrow Road to the Deep North — o Booker deste ano vai para a Austrália
15 Outubro, 2014

 

The Narrow Road to the Deep North, do australiano Richard Flanagan, 53 anos, é o Man Booker Prize de 2014. a 

 

No The Daily Telegraph: «“In trying to escape the fatality of memory,” Richard Flanagan writes towards the end of his Man Booker-winning novel The Narrow Road to the Deep North, “he discovered with an immense sadness that pursuing the past inevitably leads to greater loss.” The “he” in that sentence is Dorrigo Evans, the book’s Tasmanian protagonist, a surgeon who has seen the horrors of a Japanese Prisoner of War camp on the Thai-Burma Death Railway.»

 

Richard Flanagan's novel commemorating his father's experience in a Japanese POW camp has won the 2014 Booker Prize

 

No The New York Times, no ano em que os autores americanos foram pela primeira vez admitidos a concurso: «Richard Flanagan, who was honored for “The Narrow Road to the Deep North,” is the third Australian to win the prize.»

 

No The Bookseller: «The winner of the £50,000 award was announced this evening at a ceremony at London's Guildhall, relayed live on BBC TV News.»

 

O discurso de Richard Flanagan ontem à noite.

 

No The Guardian.

 

A lista dos Booker e recensões dos livros premiados desde 1969.

A lista dos nomeados deste ano — e a shortlist.

publicado por Ler às 08:07
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Terça-feira, 14 de Outubro de 2014
Os Cinco e o Prémio APE
14 Outubro, 2014

 

São estes os cinco finalistas ao Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE) 2013:

Afonso Cruz, Para onde vão os Guarda-Chuvas

Ana Margarida Carvalho, Que Importa a Fúria do Mar

António Mega Ferreira, Cartas de Casanova

Nuno Júdice, A Implosão

Valter Hugo Mãe, A Desumanização

 

publicado por Ler às 15:21
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Fotografias exemplares, 43.
14 Outubro, 2014

Mlle. Françoise Sagan, relendo uma página:

«Já te tramei, sua ordinária.»

 

publicado por Ler às 12:32
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Fotografias exemplares, 42.
14 Outubro, 2014

Mulheres de que gostamos muito. Doris Lessing na sua primeira casa de Londres,

depois de ter saído da então Rodésia (Salisbury, agora Harare).

 

publicado por Ler às 12:25
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Fotografias exemplares, 41.
14 Outubro, 2014

Mulheres de que gostamos muito. Susan Sontag no seu apartamento de Nova Iorque.

 

publicado por Ler às 12:22
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Fotografias exemplares, 40.
14 Outubro, 2014

Mulheres de que gostamos muito. Elsa Morante na sua casa de Roma.

 

publicado por Ler às 11:20
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 13 de Outubro de 2014
Fotografias exemplares, 39.
13 Outubro, 2014

 Um casal empreendedor: Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre. 

Ela trabalhando; ele lendo o jornal – mas vestido a preceito.

@ Fotografia de Gisèle Freund. 1963.

publicado por Ler às 10:15
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Domingo, 12 de Outubro de 2014
Fotografias exemplares, 38.
12 Outubro, 2014

Bruce Chatwin longe da Patagónia.

© Fotografia de François Halard.

 

publicado por Ler às 12:10
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Posts recentes

Fotografias exemplares, 5...

Editorial || Queimar livr...

Fotografias exemplares, 5...

Editorial || Machado de A...

Fotografias exemplares, 5...

Adaptados à «leitura por ...

Quem não quer um biquíni ...

Senha, password ou palavr...

Editorial || Eric Zemmour...

Informação útil: um ameri...

Assinaturas
Faça já a sua assinatura aqui.

Contacto

Notícias, rumores, invenções e impropérios para ler@circuloleitores.pt

Pesquisar
 
Lido e publicado

1. Os 50 autores mais influentes do século XX.
2. Dez cidades para visitar com livros debaixo do braço.
3. Charles Darwin, 200 anos depois.
4. «O Magalhães é o maior assassino da leitura em Portugal.»
5. Última entrevista de António Barahona.
6. Inéditos de Fernando Pessoa.
7. John Milton por João Pereira Coutinho.
8. «O meu mal é ter uma curiosidade de puta.»
9. Entrevista Luis Sepúlveda.
10. «Já quase pareço um escritor.»
11. Entrevista Eduardo Lourenço.
12. Breve Introdução à Teoria Literária.
13. Agustina, a indomável.
14. Trinta livros do PNL.
15. Entrevista A. M. Pires Cabral.
16. Dinis Machado: «Só quis escrever um livro».
17. Retratos de um Nobel.
18. Os últimos e-mails de Stieg Larsson.
19. Os 200 anos de Edgar Allan Poe.
20. Knoxville, o território de McCarthy.
21. O bibliotecário ambulante.
22. Dez escritores europeus que (já) mereciam ser traduzidos em Portugal.
23. Entrevista Mia Couto.
24. Entrevista Vasco Pulido Valente.
25. Inéditos Vinicius de Moraes.
26. Os heterónimos de Eduardo Lourenço

Ligações
Arquivo

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

blogs SAPO
Subscrever feeds